O Rádio no RS - Radiodifusão

O RÁDIO EM URUGUAIANA-RS

O RÁDIO EM URUGUAIANA-RS

RÁDIO CHARRUA

UMA HISTÓRIA DE OUSADIA E PIONEIRISMO

Instalar uma emissora de rádio em Uruguaiana em 1936, quando havia apenas outras quatro funcionando no Rio Grande do Sul, devia parecer uma aventura. Mas Juan Izidro Cobelli, funileiro de profissão, não se satisfazia com o serviço de alto-falantes que espalhara por diversos pontos da cidade, e no dia 20 de setembro daquele ano conseguiu colocar no ar a gravação de "Taí", com Carmen Miranda, realizando a primeira transmissão da Sociedade Rádio Charrua, com um transmissor de 100 watts comprado de segunda-mão.

A 20 de setembro de 2006, foram comemorados os 70 anos da Rádio Charrua AM, primeira emissora de rádio da região, segunda do interior gaúcho e quinta do Estado, um marco na história da radiodifusão do Rio Grande. Além do transmissor de 100 watts, Juan Izidro Cobelli iniciou a Charrua praticamente só com um microfone Telefunken - hoje uma preciosidade histórica, integrada ao mini "museu" da emissora - e um toca-discos. Mas tratou de regularizar seu empreendimento, obtendo em novembro de 1936 a autorização para funcionamento duas horas por dia em caráter experimental, e de fazê-lo crescer, acumulando, apenas um ano depois, um acervo de 364 discos em 78 rpm.

Com a 2a. Guerra Mundial, Cobelli passou a enfrentar problemas por ser estrangeiro e o governo chegou a suspender as atividades da emissora; mas ele reuniu sete sócios, formou a Rádio Charrua S. A. e a 7 de setembro de 1941 o presidente Getúlio Vargas autorizou outra vez o funcionamento. Em 2 de abril de 1943, a Charrua voltou ao ar, trocando seu antigo prefixo, ZYC-8, para ZYC-6. Dos tempos dos alto-falantes, Juan Cobelli levou para o rádio a idéia de serviço comunitário, criando os "comunicados"  para o interior, até então inéditos no Estado. Mas tarde, na década de 40, montou sua própria equipe de radioteatro. O transmissor foi substituído por outro de 500 watts.

Em 1961 a Charrua instalou-se no prédio próprio, na rua Domingos de Almeida; em 1976, completou 40 anos já como Rádio Charrua Ltda., ZYK-316, instalando um transmissor de um quilowatt. Em 1985 implantou a Charrua FM e pouco depois de festejar seu cinqüentenário trocou de transmissor e de potência, passando a ter cinco quilowatts, como até hoje, e transformando-se numa das emissoras de maior alcance da fronteira-oeste.

Nesses anos todos a Charrua se manteve sempre sob o comando da família Cobelli - o que também não é comum em emissoras tão antigas: depois de Juan Izidro, seu filho Renê Walter, a nora Edine Matte Cobelli e hoje o neto, João Renê Cobelli. Porém, não deixou de evoluir: além de ter sempre equipamento atualizado, em 1995 integrou-se à Rede Gaúcha Sat, a fim de poder continuar oferecendo aos seus ouvintes uma excelente programação local, acrescida das informações mais recentes do Brasil e do Exterior. A Rádio Charrua AM transmite na freqüência de 1.140 KHz e a Rádio Charrua FM opera em 97,7 MHz.

RÁDIO SÃO MIGUEL

            A Rádio São Miguel, emissora da Diocese de Uruguaiana-RS, foi fundada por Dom Luiz Felipe De Nadal, que era radioamador ativo, detentor do Indicativo de Chamada PY3ATR e 3º Bispo da Diocese. A Rádio São Miguel foi ao ar, em caráter definitivo, no dia 1º de maio de 1963, às 20h17min, com a mensagem de sua Excelência Reverendíssima.

O consagrado técnico eletrônico Jesus Maria Macuco, também radioamador, detentor do Indicativo de Chamada PY3WD, foi o responsável pela montagem da emissora. O rádio era a paixão de Dom Luiz Felipe De Nadal. Quando residia em Porto Alegre, ainda padre, criou e dirigiu vários programas na Rádio Difusora, como “Tio Valeriano”, programa infantil, “Noturno da Fé”, “Hora do Angelus” e “A Hora Católica” que informava tudo sobre a Igreja. Dom Luiz Felipe De Nadal lamentavelmente faleceu dois meses após a inauguração da emissora, com 47 anos de idade, a 1º de julho de 1963, num acidente aviatório, quando o DC 3 da VARIG, prefixo PP-VBV, caiu no 1º Distrito de São João da Bela Vista, a 7,5 km de Passo Fundo-RS, por volta das 18h10min.

A Rádio São Miguel foi pioneira na educação de base, levando ao ar, diariamente, as Escolas Radiofônicas, muito antes de existir o MOBRAL,  alfabetizando através do rádio pessoas adultas da cidade e do interior. As salas de aula improvisadas, contavam com um rádio personalizado da Phillips, com três pilhas grandes, com sintonia fixa na Rádio São Miguel. A implantação do primeiro canal de televisão de Uruguaiana contou com o trabalho da Rádio São Miguel, que assim colocou a região no avanço tecnológico de então. Inicialmente a Rádio funcionou na rua Santana, ao lado da Catedral, e hoje funciona na Rua Domingos José de Almeida, 1722. A emissora realizou grandes coberturas, como encontro de Presidentes, coberturas regionais, e mudou o conceito de rádio na região. Grandes nomes passaram por seus microfones, e hoje estão brilhando em emissoras de rádio, televisão e jornais do centro do país.

O surgimento da Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul aconteceu após a realização de um Festival Popular em 1970, promovido pela Rádio São Miguel, no Salão Paroquial da Catedral. Artistas de renome internacional foram trazidos pela Rádio São Miguel, como Roberto Carlos,  Jerry Adriani, Moacyr Franco, Nelson Ned, Los Iracundos, Los Galos e Los Linces. Hoje é a única emissora, na metade sul do Rio Grande, transmitindo via Internet e, com o nosso sitema irradiante, atingimos 400 km dentro da Argentina, e no Brasil chegamos até São Gabriel. A Rádio São Miguel tem como característica um microfone democrático, e também procura atender as maiores necessidades dos mais carentes.

Atualmente a Rádio São Miguel tem como Diretores Superintendentes Dr. Roque Daniel Pinto Bermúdez e Dr. Francisco de Assis Pinto Bermúdez, Diretor Geral e de Programação Luiz Fernando Franco Malfussi e, Diretor Administrativo Carlos Muller da Silva.