Biografia sobre Radiodifusores

RUBENS WAGNER

RUBENS WAGNER

Rubens Wagner viveu grande parte do que ele mesmo chama de rádio heróico. De 1946 a 1949 foi locutor da Rádio Difusora, quando lá militavam nomes como João Bergmann, Cândido Norberto, Mário Syrpa, Rubens Alcântara, Euclides Cecatto, Sayão Lobato, Antonio Mafuz, Piratíni, com sua famosa Hora do Bicho, Armando Motta e Souza Lobo. Em 1949, passou para o quadro de locutores da Rádio Gaúcha, onde permaneceu até 1957. Foi essa a época que o rádio tomou grande impulso com o radioteatro, as transmissões esportivas, as reportagens externas e os programas de auditório. Foi durante esses anos que conviveu com nomes como Carlos Nobre, Feis Paulo, Pepê Hornes, Moacyr Ribeiro, Rui Figueira, José Conceição, Moisés Sabani, Walter Ferreira, Adroaldo Guerra, Serrão Vieira, Mendes Ribeiro, Tânia Maria, Antonio Carlos Resende, Aida Terezinha, Guilherme Sibemberg, Ildefonso de Paula Carvalho, Abel Gonçalves, José Carlos Costa Gama, Alcides e José Krebs, enfim, era o que se chamava naquele tempo, o mais completo cast de rádio do sul do país.

Mais tarde com a inauguração da Rádio Guaíba, uma nova concorrente no mercado, fez amigos na emissora do Dr. Breno Caldas, que faz questão de mencionar: Homero Simon, Adroaldo Streck, Osmar Melecchi, Alcides Krebs e a admiração por Lauro Quadros, Armindo Antonio Ranzolin e Pedro Pereira. De 1957 a 1961 mudou de prefixo, foi dirigir a Rádio Itaí, na qualidade de diretor artístico. Em fins de 1961 voltou ao prefixo antigo, a sua PRC-2 - Rádio Gaúcha, onde permaneceu até o nascimento da TV Gaúcha, para onde passou, como assistente de Jayme Sirotsky e apresentador, junto com Dilamar Machado, de um programa jornalístico denominado Circuito Fechado, de memoráveis entrevistas. Uma delas, em que foram colocados frente a frente o delegado Julio Moraes e o então Deputado Euclydes Klieman, entrou madrugada a dentro com a cidade sem dormir, constituindo-se num dos maiores ibopes de todos os tempos.

Em 1968, atendendo a um convite de Roberto Montoro, de São Paulo, foi dirigir suas emissoras da Capital e Interior. Voltou a Porto Alegre em 1978, como superintendente da Rede Capital de Comunicações e finalmente, aposentou-se em 1979. Rubens Wagner é autor do livro “Histórias do Rádio Heróico”, 1a. Edição, Edição do Autor, 1983; 2a. Edição Ampliada, Edições Oppelt, 1996, ambas em Porto Alegre-RS.