Biografia sobre Radiodifusores

O  PIONEIRO  DA  TV NO ESTADO DO PARANÁ

O  PIONEIRO  DA  TV NO ESTADO DO PARANÁ

Empresário, revolucionou os meios de comunicação no Paraná, a partir de suas iniciativas Nagibe Chede Abrahão, um Pioneiro da televisão no sul do Brasil, foi o fundador, em 1960, da TV Paranaense - Canal 12. Foi o homem que fez os curitibanos descobrirem o mundo por trás de uma pequena tela embutida numa caixa de madeira. O invento, na verdade, acabara de revolucionar o mundo a partir da década de 50 e desembarcava em Curitiba, pela ação empreendedora de Nagibe Chede.

Ainda aos 9 anos começava a fazer suas experiências com o aparelho de rádio, de prefixo PY5CD, que ganhou do pai. Ele deve ter sido um dos mais jovens brasileiros a operar estes aparelhos. A veia para o mundo da informação fez com que, em 1948, Nagibe Chede se aventurasse num negócio mais promissor: a Sociedade Rádio Emissora Paranaense. Os estúdios, em principio instalados em São José dos Pinhais, mais tarde foram transferidos para Curitiba. Desta emissora, surgiram depois a Rádio Curitibana, atual Radio Cidade; a Rádio Universo, posteriormente denominada Rádio Apolo FM, hoje Rádio Scala.

MARCA DEFINITIVA

Foi em 1918, porem que Nagibe Chede vivenciou o fato que marcaria definitivamente sua história da televisão. Ele viajaria para os Estados Unidos a convite do Lions Club e em Nova Iorque se encantara com uma câmera filmadora da marca RCA, no valor de U$S 100, uma das coqueluches na época. Foi informado de que com ela poderia fazer pequenas transmissões em circuito fechado e gostou da idéia. Trouxe para Curitiba o pequeno aparelho, do tamanho de uma caixa de sapato, e começou a fazer alguns experimentos. Emprestava filmes do consulado norte-americano, projetava-os na parede e os filmava com a pequena câmera. O sinal era posteriormente retransmitido para a tela da televisão. Em pouco tempo um aparelho de tevê estava instalado na vitrine da Loja Tarobá, situada na Avenida Luiz Xavier, na entrada da Praça Osório.

MAIOR ALCANCE

Como a curiosidade de Nagibe Chede sempre o fazia a pensar em projetos maiores, ele trouxe a Curitiba um técnico do Rio de Janeiro, para que construísse um pequeno transmissor. Em pouco tempo o aparelho estava pronto. Não tinha muita potencia, mas os seus 10 watts eram suficientes para que o sinal da televisão chegasse até São Jose dos Pinhais. A câmera fez o curitibano criar o habito de ver televisão ou de, um dia quem sabe, ser proprietário do maior sonho de consumo da época em todo o mundo. Havia, no entanto, um problema.Lojas como Hermes Macedo, Prosdócimo, Tarobá e outras vendiam o aparelho, até retransmitiam os filmes do consulado, mas a cidade não tinha emissora de televisão.

Nagibe Chede sabia que um dia seus filmes tinham dias contados e planejava algo maior para Curitiba. Sabia também que os poderosos Diários Associados tinham a intenção de instalar uma emissora de TV em Curitiba. Procurou o então governador Moysés Lupion, que foi importante entusiasta do maior projeto do empresário: a criação de uma emissora de televisão. Lupion conseguiu marcar audiência com o então presidente da República Juscelino Kubitschek e deixar que ele falasse da idéia. A concessão da TV Paranaense, sem burocracia, já era uma realidade. A câmera portátil, em forma de caixa de sapato e de aparência rústica representou, por tudo isto, a “semente” que, na opinião de Nagib Chede, impulsionou a televisão no sul do Brasil. Guardada com carinho pelo empresário durante 50 anos, agora é seu desejo que ela passe ás mãos do jornalista Francisco Cunha Pereira Filho, diretor presidente da emissora desde 1968. “Ele me deixou orgulhoso, pois fez minha obra crescer e se tornar um potência no estado”, confirma Nagibe Chede.       

UM DEFENSOR DO PARANÁ

Nagibe Chede Abrahão sempre foi defensor intransigente do Paraná. Por esta razão recebeu tantas homenagens ao longo de sua vida. Nasceu em Palmeira, Estado do Paraná, no dia 28 de maio de 1911, filho de Chede Abrahão e Rosa Abrahão. Em 1930 ingressava na Universidade Federal do Paraná, concluindo o curso de Direito em 1935. Era um dos mais antigos advogados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), sob o número 209. Em 1934 se casa com Dona Sylmira Takues Chede, com quem tem sua única filha, Marisa. Mais tarde ajuda a implantar o Tribunal de Contas do Paraná.

A 29 de outubro de 1960 da sua mais importante contribuição para a área das comunicações do Paraná, criando a TV Paranaense - Canal 12, vendida em 1968. Nagibe foi ainda um dos fundadores da Associação Brasileira de Rádio e Televisão, com sede em Brasília. Recebeu da Ordem Italiana “Cavaliê Di San Geórgia Incarínzia” o título de Cidadão Honorário; e da Assembléia Legislativa o de Cidadão Benemérito do Paraná, entre outras condecorações. Nagibe Chede Abrahão morreu na madrugada de sexta-feira, dia 25 de outubro de 2002, aos 91 anos, em Curitiba-PR. Nagibe Chede Abrahão teve uma história de vida marcada pelo idealismo e pelas lutas em favor do Paraná.