Biografia sobre Radiodifusores

LUIS MENDES

LUIS MENDES

Ele viveu e é parte importante da saga do meio rádio pelo País. Luis Mendes - ex narrador esportivo e hoje comentarista da Rádio Globo AM - tem mil histórias para contar. Numa época em que as transmissões eram feitas na raça, pois a tecnologia era precária, Luis Mendes viveu o apogeu, a glória e a decadência de rádios como a Nacional e a Sociedade do Rio de Janeiro, além de acompanhar o surgimento de outras ainda ativas, como Globo, Bandeirantes e Record.

Luis Mendes começou trabalhando na Rádio Missioneira em 1942, transferindo-se logo depois para a Rádio Farroupilha, em 1944, ambas do Sul do País. Depois, já no Rio de Janeiro, Luis Mendes trabalhou na Rádio Mayrinque Veiga, que gozava de muito prestígio na época, onde ficou até 1950. Após este período, ele começou a trabalhar com televisão e revezava-se entre as rádios Globo, Nacional e Tupi. De 1977 a 1989, foi chefe de esportes da TV Educativa do Rio. Neste tempo todo, Luis Mendes destaca duas façanhas. “Transmiti com exclusividade a estréia de Heleno de Freitas, famoso jogador daqueles dias, no time argentino do Boca Juniors em 1948, e também a final da Copa do Mundo de 1954 entre Alemanha e Hungria, para mais de 400 emissoras em cadeia, um marco na época”, conta. Ele relembra como as transmissões eram precárias. “Era difícil, o som era precário e dependíamos ainda de canais internacionais”. Outra curiosidade de sua carreira: Luis Mendes também fez parte da primeira transmissão de futebol à cores da TV brasileira, na Festa da Uva em Caxias do Sul-RS, numa partida entre Grêmio e Caxias.

O NASCER DA RÁDIO GLOBO

A Rádio Globo foi fundada a 2 de dezembro de 1944. Na época, a emissora top de linha era a Rádio Nacional, fundada em 1936. “A Globo cresceu principalmente copiando a programação da Nacional, que continha o Repórter Esso, radionovelas e música”, afirma Luis Mendes. Muita gente do teatro migrava para o radioteatro. “Pessoas como Amaral Gurgel, que escrevia, e a principal radioatriz do Brasil na época, Zezé Fonseca”, recorda Luis Mendes. A ascensão da Rádio Globo deu-se exatamente quando a TV surgiu, em 1950, e praticamente roubou os radioatores para fazerem novelas na telinha, deixando a programação da Rádio Nacional a ver navios. “A Nacional não se reciclou, o que propiciou à Globo crescer com programas de comunicadores e depois se adequar ao mercado até os dias de hoje”, completa Luis Mendes.

Depois disso, a Rádio Nacional, que é propriedade do governo, parou no tempo. Luis Mendes já estava presente no dia da inauguração da Rádio Globo. “Houve um show inaugural monumental no teatro municipal, com as presenças de Ataulfo Alves, Ciro Monteiro, Odete Amaral, João Pedro de Barros e sua voz de 18 quilates, além de atrações internacionais como a soprano Graziela de Salermo e o mexicano Pedro Vargas, acompanhados pela orquestra do maestro Gaó do Cassino da Urca”, relembra Luis Mendes. Ainda hoje, ele é comentarista  titular das transmissões esportivas da Rádio Globo AM.

O radialista Luis Mendes é uma verdadeira enciclopédia do rádio.