Biografia sobre Radiodifusores

JUAN GANZO FERNANDEZ

JUAN GANZO FERNANDEZ

05.10.1872 - 02.04.1957

Juan Ganzo Fernandez, espanhol, nascido nas Ilhas Canárias, Las Palmas, a 5 de outubro de 1872, falecido a 2 de abril de 1957, em Florianópolis-SC, onde está sepultado, fez estudos preparatórios em Montevidéu, especializando-se em eletricidade. Muito jovem ainda, passou a dedicar-se à técnica das comunicações por telefone, tendo instalado linhas em San José e ligado a Montevidéu os centros telefônicos de Canelones, Florida e Santa Lúcia. Por ser filiado ao Partido Nacional (Blanco), tomou em armas em 1897. Feita a paz, voltou às atividades empresariais, tendo instalado telefones em Melo e no Departamento de Cerro Largo. A convite do Doutor Carlos Barbosa, em 1900, instalou serviço de telefones em Jaguarão; em 1901, teve igual encargo em Erval e em Bagé, tendo promovido a ligação telefônica de Bagé com Melo, no Uruguai. Em 1902, empreitou a instalação de telefones em Dom Pedrito e em São Gabriel. Com um intervalo guerreiro em 1904, dado que acompanhou a nova revolução de Aparício Saraiva naquele ano, voltou o Coronel Juan Ganzo Fernandez ao Rio Grande do Sul, onde ampliou as ligações telefônicas entre Rio Grande e Pelotas, instalou telefones em São Lourenço do Sul, em Cruz Alta e em Santa Cruz do Sul. Em 1906, estaria novamente em Montevidéu, onde, associado a grupos financeiros, fundou a firma Ganzo, Durruty & Cia., criando condições econômicas para uma ampliação de suas atividades. Depois de uma viagem à Europa, para adquirir materiais e assimilar novas técnicas, fundou em Porto Alegre, em 1907, a Cia. Telefônica Rio-Grandense, logo incorporando as existências da antiga União Telefônica, que funcionava como concessionária dos serviços desde 1886. Desenvolvendo os serviços e aplicando nova tecnologia, a Cia. Telefônica introduziu em 1922 os telefones automáticos, estabeleceu o serviço de ligações intermunicipais entre a Capital e vários pontos do Estado, um departamento de fonografia e um serviço rádio-telefônico entre Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. No ano de 1927, o Coronel Ganzo vendeu o acervo da Cia. Telefônica Rio-Grandense à ITT (International Telegraph and Telephone), continuando, porém, como seu diretor, até 1940, quando transferiu residência para Florianópolis-SC.

Além de haver tomado parte em numerosas iniciativas do setor de eletricidade e indústria fabril, o Coronel Juan Ganzo Fernandez se assinalou em Porto Alegre pela inauguração, a 7 de setembro de 1924, da Rádio Sociedade Riograndense, pioneira emissora de radiodifusão no Rio Grande do Sul, e fundação de um Jardim Zoológico em sua propriedade denominada "Vila Diamela", à Avenida Getúlio Vargas, no bairro Menino Deus. Esse Zoológico, que funcionou a partir de 1913 pelo espaço de alguns anos, reunia, a princípio, multidões de frequentadores. Em sua homenagem existe, aqui em Porto Alegre-RS, a Avenida Ganzo, que foi aberta nos terrenos da Vila Diamela.

O nome de Vila Diamela era em homenagem a filha do Cel. Juan Ganzo Fernandes, Diamêla Ganzo Fernandez. A senhorita Diamêla, por ocasião da inauguração da Rádio Sociedade Riograndense, a 7 de setembro de 1924, interpretou "A Canção da Saudade", de Olegário Mariano.