Artigos sobre Radiodifusão

RÁDIO SOCIEDADE DA BAHIA

RÁDIO SOCIEDADE DA BAHIA

POLÍTICA E RELIGIÃO

Um pequeno transmissor com potência de cinco quilowatts e um estúdio precário iniciaram as transmissões da mais antiga emissora da Bahia, a Rádio Sociedade, que completou 78 anos de idade no início do ano. A década de 30 ficou marcada pelo crescimento da emissora que detinha transmissores de maior potência e que aumentaram o alcance. Também a inauguração da nova sede no bairro comercial tradicional da Federação abrigava estúdios que transmitiam programação eclética com música, entretenimento, informações e esportes. A partir de 1934, a rádio seguiu a tendência nacional e focou investimentos em programas de auditório. “Isso gerou mais receita para a empresa, que aproveitou para inovar a equipe profissional. Havia orquestra própria e um casting de atores para o radioteatro”, diz o diretor executivo, Cláudio Rodrigues. A partir de 1940, Assis Chateaubriand, proprietário dos Diários e Emissoras Associados do Brasil, comprou a Rádio Sociedade. A entrada do magnata das comunicações marca o fim dos programas de auditório e o início da concorrência com a Rádio Excelsior.

Sob a direção do empresário, Hilton Carneiro Motta, em 1971, a Rádio Sociedade entra em um período de profunda crise econômica. A concorrência com as rádios Excelsior e Cultura e principalmente com a televisão provocam a derrocada da empresa que ainda era vinculada aos Diários Associados. Os estúdios voltam para a antiga sede, no bairro da Federação, como uma das alternativas para redução de custos. É inaugurada a FM Itapoan, uma emissora com maior qualidade de transmissão e conteúdo diversificado, para minimizar a crise do grupo.

Em 1980 a Rádio Sociedade sai do controle do grupo Diários Associados e passa a integrar-se ao grupo Nordeste, cujo maior acionista é o empresário Pedro Irujo. Novos transmissores com 100 quilowatts de potência inauguram uma nova fase na emissora. “A rádio começava a dar sinais de crescimento”, diz Rodrigues. Em 1997 a emissora passa para as mãos da Igreja Universal do Reino de Deus e alcança 236 municípios, ou seja, mais de 70% do Estado da Bahia. Possui estúdios com equipamentos computadorizados e digitalizados. “Um canal de satélite exclusivo leva a programação a qualquer ponto do território baiano e nacional com qualidade digital através das afiliadas. Apostamos também no feed back aos anunciantes através do sistema Rádio Control, que permite controlar as inserções via Internet”, explica o diretor executivo.