Artigos sobre Radiodifusão

PIONEIRAS EMISSORAS

PIONEIRAS EMISSORAS

Em 1920, terminada a 1a. Guerra Mundial, surge a rádio comercial nos Estados Unidos, com a inauguração da emissora KDKA, de Pittsburgo, a 2 de novembro de 1920, a pioneira dos Estados Unidos, montada pela Westinghouse Electric, com potência bastante para atingir grandes áreas com programas regulares. A projeção da KDKA se tornou notória desde o princípio de seus serviços com as sensacionais reportagens que fez por ocasião da campanha eleitoral dos dois partidos comandando a política norte-americana, visando a presidência da Nação.

O prestígio e a popularidade alcançados pela KDKA gerou atenções muito especiais por parte de grandes órgãos da imprensa: viram na radiodifusão um meio de expansão e da vida de suas próprias organizações. Trataram, pois, de criar as suas próprias estações de rádio, cerca de nove empresas jornalísticas. Também as empresas comerciais procuraram tirar proveito do rádio como difusor de anúncios de seu interesse. Inúmeras entidades dessa natureza montavam as suas próprias emissoras. Em 1922, surgiu outra grande emissora, a WEAF, de Nova York, numa iniciativa da Telephone & Telegraph.

No Brasil, depois das efêmeras irradiações experimentais, realizadas durante a Exposição do Centenário da Independência, em setembro de 1922, foi fundada, pelos cientistas Edgard Roquette Pinto e eng. Henrique Morize, no Rio de Janeiro, a 20 de abril de 1923, na Academia Brasileira de Ciências, da qual os fundadores faziam parte, a Radio Sociedade do Rio de Janeiro, que foi instalada, a 19 de maio do mesmo ano, no anfiteatro de Física da Escola Politécnica do Rio de Janeiro.

Os fundadores, idealistas Roquette Pinto e Eng. Henrique Morize conseguiram do Governo a cessão de uma das duas emissoras Western Electric, a que estava na Praia Vermelha, importadas em 1923, pelo Governo brasileiro para o serviço telegráfico nacional. Com uma potência de 500 watts, a emissora foi adaptada à radiodifusão e na data marcada foi para o ar.

Depois a emissora funcionou na Livraria Científica Brasileira, na Rua São José, 114. Posteriormente, veio a fixar-se na Casa Guinle, na Avenida Rio Branco, 109; ali ocupou várias salas do sexto andar onde dispunha de sala de leitura, biblioteca, laboratório, etc. Nessa ocasião, setembro de 1923, seu estúdio ocupava o último andar e estava equipado com um transmissor Telefunken. O aparelho transmissor foi doação do Sr. M. B. Astrada, representante da Casa Pekan de Buenos Aires, por intermédio de Demócrito Seabra, que além do transmissor mandou vários componentes. O equipamento Telefunken foi montado pelos engenheiros Eickhoff e Kellermann, da Telefunken.

Pouco depois, em 1924, o Eng. Elba Pinheiro Dias, engenheiro da antiga Repartição Geral dos Telégrafos, obteve autorização do Governo para adaptar a outra emissora telegráfica de 500 watts, para o mesmo fim: radiodifusão. Reunindo-se a amigos, Elba Dias fundou a Rádio Club do Brasil - SQIB, instalando a sua sede em frente ao Largo da Carioca, nos altos da Livraria do Globo.