Artigos sobre Radiodifusão

O GALENA

O GALENA

O galena surgiu em 1906, quando um coronel do exército norte-americano, H. H. C. Dunwoody, patenteou o detector de cristal. Consistia num fragmento de galena (sulfeto de chumbo natural), que se ligava a uma antena por meio de um arame fino (bigode de gato). Todo o som transmitido pelo transmissor e captado pela antena, passava pelo cristal e era ouvido através de um par de auriculares.

A pedra de galena tem a função de separar a radiofreqüência da parte de modulação, fazendo com que chegue ao fone de ouvido somente o áudio. Quando havia só uma estação transmitindo não havia necessidade de sintonizar a freqüência. Posteriormente foi acrescentado ao circuito um capacitor variável e uma bobina que conseguiam sintonizar mais de uma emissora.

Os pioneiros radioescutas do mundo todo, inclusive os brasileiros nas décadas de 20 e 30, conheceram as audições radiofônicas através dos galenas, receptores elementares, na maioria de fabricação caseira. Bem mais tarde, surgiram os alto-falantes que, por sua vez, eram cornetas de som, no mesmo estilo das antigas vitrolas e, posteriormente, embutidos nos receptores.