Artigos sobre Radiodifusão

80 ANOS NO AR

80 ANOS NO AR

Trajetória do rádio brasileiro venceu
barreiras políticas e tecnológicas.

Até junho de 2002 o Brasil contava com 3,6 mil emissoras comerciais de rádio licenciadas, de acordo com o Ministério das Comunicações, sendo 1.802 FMs, 1.665 AMs, 70 OTs e 63 OCs. O Estado de São Paulo concentra a maior parte, com 314 FMs e 269 AMs, seguido por Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia e Rio de Janeiro (ver tabela). Para chegar a esses números, o rádio brasileiro superou barreiras políticas como a censura durante a ditadura militar e tecnológicas, como a sedimentação da TV e a atual disputa pelos investimentos em propaganda. Em 2001, de acordo com o Projeto Inter-Meios, o rádio abocanhou 4,8% dos R$ 12,8 bilhões movimentados pelo mercado publicitário. A gênese desse mar de ondas radiofônicas data de 7 de setembro de 1922, quando as comemorações do centenário da Independência serviram de cenário para que um discurso do então presidente Epitácio Pessoa ecoasse em apenas 80 aparelhos de rádio.

A transmissão acabou juntamente com os festejos e o Brasil só foi ouvir falar de rádio um ano mais tarde com a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada pelo antropólogo Roquette Pinto e por Henry Morize. Com programas educativos, a emissora incentivou e influenciou várias rádios amadoras da década de 20, como a Rádio Clube Paranaense, em Curitiba. Na época, todas foram instituídas como clubes ou sociedades e, como a legislação proibia a publicidade, eram sustentadas pelos associados. Nos anos 30 surgem as primeiras emissoras comerciais como a Rádio Record, em São Paulo (1931), a Rádio Nacional, do Rio de Janeiro (1936), reconhecida como a primeira grande emissora do País, e a Rádio Tupi (1937), de São Paulo. É nesse período que o rádio se despe do perfil educativo e elitista para se firmar como meio popular de comunicação. A linguagem tornou-se mais direta e de fácil entendimento e a programação passa a ser mais diversificada e mais bem organizada. Surgem então os programas de música popular e os ídolos como Carmem Miranda e Orlando Silva. Também começam as novelas, sendo a primeira Em busca da Felicidade, transmitida em 1941 pela Rádio Nacional. No mesmo ano é lançado o Repórter Esso, ícone do radiojornalismo brasileiro.

A era de ouro do rádio chega ao fim com a popularização da televisão no final da década de 50. As emissoras são obrigadas a rever as programações e se dedicam mais ao jornalismo e à prestação de serviços à comunidade. A primeira rádio a divulgar notícia na programação foi a Bandeirantes. Em 1968 surgem as primeiras FMs e seu auge se dá nos anos 70. A CBN, primeira rádio FM só de notícias, foi criada em 1996.

CONCENTRAÇÃO DE EMISSORAS
ESTADO FM AM
SÃO PAULO 314 269
MINAS GERAIS 307 181
RIO GRANDE DO SUL 169 180
PARANÁ 122 173
BAHIA 101 96
RIO DE JANEIRO 75 59