Artigos sobre Radioamadorismo

IARU

IARU

INTERNATIONAL AMATEUR RADIO UNION, mais conhecida como IARU, cuja data de criação é considerada como o marco inicial dos contatos que fazem entre si os radioamadores de todos os quadrantes da nossa Terra, de modo organizado e acatando as recomendações dela emanadas.

Os primórdios da sua criação retroagem ao ano de 1924, quando Hiran Percy Maxim, radioamador norte-americano, presidente da Liga Americana de Radioemissão - ARRL, notando o súbito aumento do interesse das pessoas pela ciência da radiocomunicação, talvez, devido aos avanços neste campo propiciado pela I Guerra Mundial que tinha terminado em 1918, previu que, num futuro próximo, esse crescimento desordenado, inevitavelmente iria criar problemas às comunicações, uma vez que, naqueles dias, ainda não haviam faixas de freqüências exclusivas para as atividades radioamadorísticas. Assim, em março de 1924, se reuniu em Paris um grupo de radioamadores da França, Inglaterra, Bélgica, Suiça, Itália, Espanha, Luxemburgo, Canadá e Hiran Percy Maxim, representando os Estados Unidos, quando então estabeleceram os ítens básicos para a criação de uma organização de âmbito internacional e destinada a cuidar dos interesses dos radioamadores, que se chamaria de INTERNATIONAL AMATEUR RADIO UNION - IARU. No ano seguinte, reunidos novamente na França, agora em congresso e contando com a presença de 22 países, através de seus representantes, entre eles o Brasil, em memorável sessão plenária realizada no dia 17 de abril, foi aprovado o estatuto daquela associação. Naquele ano, apenas 25 países a ela se filiaram. Atualmente são mais de 190 países filiados. Só é permitida a admissão à IARU de apenas uma associação por país, sendo que em se tratando do Brasil, a LABRE, na condição de ser a única associação de radioamadores do Brasil, de âmbito nacional, reconhecida pelo Governo, é a associação que a ela esta filiada. Alguns poderão indagar: qual a utilidade da filiação à IARU? Responderemos por eles: a IARU é a única entidade internacional de radioamadores que tem acesso à UIT - UNIÃO INTERNACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, órgão das Nações Unidas, incumbido de tratar das telecomunicações mundiais. E para afirmar o que dizemos, um dos resultados mais expressivos dessa atuação foi obtido em 1979, durante a Conferência Mundial de Radioamadorismo, mais conhecida como WARC, realizada em Genebra, na Suiça, quando, para surpresa geral do mundo, onde nas bandas de VHF já não existiam mais freqüências desocupadas, conseguiu que fossem outorgadas para o Serviço de Radioamador, faixas de freqüências até então utilizadas por outros serviços. Só a obtenção desta vitória já teria sido motivo suficiente para que todas as associações de radioamadorismo do mundo dela fossem filiadas.

Atualmente a IARU esta dividida em três organizações regionais distintas, mas unidas em seu todo, e com as mesmas finalidades radioamadorísticas. Essas três organizações regionais são: IARU - REGIÃO I - Abrangendo as associações radioamadorísticas situadas geograficamente na Região I-ITU. Essas associações reuniram-se pela primeira vez em maio de 1950, por ocasião da Convenção da Resseau Des Emetteurs Français, oportunidade em que ficou acertado que todas as associações radioamadorísticas situadas na Região I, ficariam sendo uma parte da organização mundial, como um membro e não como um todo, e participando ativamente das futuras conferências e convenções, sendo que os gastos havidos durante esse conclave seriam divididos por todas as associações da Região I.

IARU - REGIÃO II - Surgida por iniciativa da Liga Mexicana de Radioaficcionados, quando patrocinou e organizou o 1º Congresso Pan-Americano de Radioamadores, efetuado de 15 a 18 de abril de 1964, no México, e do qual participaram 18 países que integram essa região da ITU, oportunidade em que a mesma foi fundada, sendo adotada a denominação de IARU - REGIÃO II. Dessa Organização faz parte o Brasil, e entre as Assembléias Gerais já realizadas desde a sua fundação, destacam-se as de Caracas, na Venezuela, em 1967; de Ocho Rios, Jamaica, em 1970; de Santiago, Chile, em 1973; e de Miami, EUA, em 1976. IARU - REGIÃO III - Surgida por iniciativa de radioamadores da Austrália, que, seguindo os passos dos sul-americanos, reuníram-se em Sydney, Austrália, em abril de 1968, oportunidade em que estiveram presentes as quatro maiores associações de radioamadores situadas nessa Região, da qual fazem parte a própria Austrália, o Japão e as Filipinas, sendo adotada a denominação de IARU - REGIÃO III, com as mesmas finalidades.

Essas três Regiões reúnem-se, em Assembléia Geral de Delegados, de três em três anos, e dela fazem parte, como um grupo só, os Comitês Especiais, os Grupos de Trabalho e o Comitê Executivo da União Central. Essa União Central não interfere nos assuntos internos das associações que a compõem, porém orienta os assuntos pertinentes ao radioamadorismo mundial, estudando os problemas comuns e apresentando sugestões, procedendo estudos para que seja uniformizada a outorga das licenças nos países-membro. Por outro lado elabora soluções para o estabelecimento de um serviço de fiscalização contra estações intrusas, ajuda na constituição de redes de emergências mundiais, e está alerta para evitar que sejam tolhidos os movimentos dos radioamadores em todo o mundo.

ITU

ITU é a sigla da INTERNATIONAL TELECOMUNICATIONS UNION, também conhecida por UIT, isto é, UNIÃO INTERNACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Sua sede fica na Suiça, com o seguinte endereço: ITU - P.O.BOX 6 - 1211 GENEVE 20 - SWITZERLAND - EUROPE. Existe outra secção da ITU, esta sediada em Nova Iorque, nos EUA, na sede da ONU. A ITU tem prefixo próprio, que é 4U1, sendo que o segmento vai de 4UA a 4UZ, e estão assim distribuídos: 4U1- ITU (de nº 1 ao 9) de estações situadas em Genebra, Suiça, e as de 4U1- UN (de nº 1 ao 9) são de estações situadas em Nova Iorque, EUA. A ITU tem jurisdição no espectro de ondas eletromagnéticas que vai de 10 Khz até 275 Ghz (1 Ghz é igual a 1.000 milhões de ciclos por segundo). Em termos de comprimento de ondas, isto significa ondas desde 3.000 metros até l (hum) milímetro. Sua função é de jurisdição sobre os acordos internacionais e demais finalidades sobre o assunto, inclusive sobre o acordo de reciprocidade entre os países.