Artigos sobre Radioamadorismo

GLOSSÁRIO

GLOSSÁRIO

O presente glossário é uma contribuição despretensiosa àqueles que apreciam a radiodifusão e telecomunicações. Procurei listar os termos de uso mais comum, ciente de que isto não é uma tarefa simples, pois é difícil obter consenso no que seria ´uso mais comum`. Por outro lado, a listagem selecionada estará sempre incompleta e provavelmente em alguns casos excessivamente concisa - quem sabe, prejudicando o entendimento. Todavia, este serviço foi realizado com o intuito de colaborar, com muito prazer. Espero receber sugestões de acréscimos, retiradas, modificações e o que mais for julgado útil para que o Glossário possa ter real utilidade.

CONCEITOS MAIS USUAIS EM RADIODIFUSÃO E TELECOMUNICAÇÕES

Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL
É o órgão governamental regulador das telecomunicações no Brasil.
Endereço: SAS - Quadra 6 - Bloco B/C - Brasília-DF - CEP 70313-900 - Tel.: (61) 3312-2000
- Site: www.anatel.gov.br
ANATEL - Escritório Regional - ER5
Av. Princesa Isabel, 778 - Porto Alegre-RS - CEP 90620-000

AM
Modulação em Amplitude. A sigla resulta do nome em inglês “Amplitude Modulation”. Processo para inserir o sinal de informação a ser transportado em outro (portador), de tal forma que modifica a amplitude do portador segundo suas variações.

Amplificador de alta potência - HPA
Usados nos estágios de saída dos transmissores de grande porte da radiodifusão, estações terrenas de satélites, etc.
Amplificador de baixo ruído - LNA
Amplificador utilizado nos equipamentos de recepção de sinais em freqüências acima de 1GHz, que se caracteriza pelo baixíssimo nível de ruído térmico do estágio de entrada.

ANATEL
Sigla da Agência Nacional de Telecomunicações. É o órgão governamental regulador das telecomunicações no Brasil.

Antena
Condutor ou sistema de condutores utilizados para irradiar ou receber ondas de rádio. Uma antena nada mais é que um acoplador de energia entre o sistema de rádio ao espaço livre.

ARRL
Sigla da American Radio Relay League, entidade que congrega os radioamadores norte-americanos.

Backbone
Espinha dorsal. É o tronco principal de uma rede de telecomunicações.

Banda
Conjunto de freqüências contínuas ocupando uma faixa do espectro radioelétrico.

Banda A (890M)
Primeira das faixas de radiofreqüências (824MHz a 891,5MHz) destinadas à telefonia móvel celular.

Banda alta (TV)
Designação atribuída aos canais 7 a 13 de televisão (174MHz a 216MHz).

Banda B (890M)
Segunda faixa de radiofreqüências (835MHz a 894MGz) destinada à telefonia móvel celular.

Banda baixa (TV)
Designação atribuída aos canais de 2 a 6 de televisão (de 54MHz a 72MHz e de 76MHz a 88MHz).

Banda C (Sat)
Faixa de radiofreqüências entre 3,7GHz e 4,2GHz utilizada em enlaces terrenos e via satélite.

Banda Ka
Faixa entre 18GHz e 31GHz, utilizada na execução de telecomunicações LMDS.

Banda Ku
Faixa de radiofreqüências entre 10,95GHz e 12,7GHz, utilizada em comunicações via satélite.

Banda L
Faixa de radiofreqüências entre 950MHz e 1.535MHz.

Banda larga
Diz-se da banda capaz de transportar serviços integrados de telecomunicações. Processo de transmissão que utiliza grande largura de banda, contrastando com os convencionais que procuram efetivar a transmissão com a menor largura de banda. Utilizado para transmissão simultânea de sinais de voz, vídeo e dados, sob a forma digital e em velocidade superior a 2Mb/s.

Banda Lateral Dupla - DSB
Processo de modulação em amplitude que gera duas bandas laterais em torno da freqüência portadora. A informação está contida repetidamente em cada uma dessas bandas.

Banda Lateral Independente - BLI
Processo de modulação em amplitude que gera duas bandas laterais em torno da freqüência portadora, mas tratadas de forma independente, de tal sorte que cada uma pode conduzir até dois canais de voz distintos.

Banda X
Faixa de radiofreqüências entre 7,25GHz e 8,425GHz, utilizada em comunicações via satélite para fins militares.

Baud
Unidade de velocidade de transmissão telegráfica. Número de condições discretas de um sinal por segundo. Equivocadamente, é igualada ao número de bits por segundo.

Bluethoot
Conjunto de especificações proposto pela Ericcson ao padrão GSM, combinando protocolos de telefonia celular, de radiocomunicações e softwares diversos, que oferecem boa comunicação entre telefones celulares, em 720kb/s até 12m.

Cabeçal
Termo da TV a Cabo e MMDS. Nomeia a central de recepção, geração, processamento e retransmissão dos sinais destinados aos assinantes.

Call Center
Centro de telefonia privado, digital, computadorizado, que além das facilidades ofertadas pelos PABX, oferece outras, inclusive atender várias entradas a partir de um mesmo número.

Canal
Conjunto de meios necessários a estabelecer um enlace físico, óptico, ou radioelétrico, para a transmissão unilateral de sinais de comunicação entre dois pontos.

Carga útil (Pay-load)
Em telecomunicações via satélite, é o módulo de comunicações transportado pelo satélite.

Certificação de produto de telecomunicações
Processo pelo qual a ANATEL reconhece ter um produto características compatíveis para uso nas telecomunicações no Brasil. É formalizado por um Certificado de Homologação (produtos nacionais), Certificado de Registro (produtos estrangeiros) e Certificado de Aceitação (nacionais, mas sem norma técnica correspondente). (Referência: NGT-04/91 - Port. SNC 173/91 DOU 22.08.1971).

Certificado de Operador
de Estação de Radioamador - COER
É o documento que comprova a aptidão do seu titular em executar o Serviço de Radioamador, operando estações de radioamadores, nas faixas atribuídas à classe nele especificada. O COER é emitido aos aprovados em exames de habilitação ao Serviço de Radioamador.

Churn Rate
Termo utilizado nos serviços de telecomunicações por assinatura, como TV a Cabo. Mede o percentual de assinantes desligados, seja por vontade própria, seja por inadimplência.

Circuito integrado
Um grupo de circuitos eletrônicos montados num substrato de silício de dimensão muito reduzida. Atualmente, o grau de integração de componentes ativos (transistores) é muito elevado - VLSI (Very Large Scale Integration).

Codificador-Decodificador - CODEC
Processo (e equipamento) utilizado para fazer a conversão de sinal analógico contínuo (áudio e vídeo) para o formato digital e vice-versa.

Código Brasileiro de Telecomunicações - CBT
Instituído pela Lei 4.117/62. Permanece em vigor somente o que diz respeito aos serviços de radiodifusão e à matéria penal não disciplinada na Lei Geral de Telecomunicações. Os artigos referentes aos demais serviços foram revogados pela Lei 9.472/97 - Lei Geral de Telecomunicações.

Código Q
Código Civil Internacional “Q”. É utilizado em todos os serviços de radiocomunicações, com a finalidade de simplificar as comunicações pela substituição de frases ou informações por um conjunto de três letras, iniciando pela letra “Q”.

Colhimento eletrônico de notícias - ENG
Técnica de produção de programas em radiodifusão, pelo qual são efetuadas gravações ou transmissão ao vivo de eventos que ocorram em qualquer lugar fora dos estúdios. Utiliza equipamentos portáteis e meios de transmissão via satélite. Também denominado SNG - Satellite News Gathering.

Comissão Federal de Comunicações - FCC
Agência administradora das telecomunicações nos EUA. Eqüivalente a ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações (do Brasil).

Concessão
Ato administrativo de natureza contratual pelo qual o Poder Público competente outorga a terceiros a faculdade de explorar em nome da União, por tempo determinado e por conta própria, serviços públicos de telecomunicações, serviços de radiodifusão sonora de caráter nacional ou regional, serviços de radiodifusão de sons e imagens, e serviços especiais de teledifusão por onda radioelétrica

Contorno de bloqueio
Região entorno de um sistema irradiante onde a intensidade do sinal radiado é tão forte que bloqueia a recepção de qualquer outro sinal. Na radiodifusão OM, é definido pelo contorno de intensidade de campo elétrico de 1V/m; na radiodifusão FM, por 115dBm.

Conversor Analógico/Digital (A/D)
Dispositivo que transforma um sinal analógico no seu correspondente digital.

Conversor de descida - Downconverter
Equipamento utilizado nos enlaces de descida de comunicações via satélite, destinado a reduzir a freqüência de microonda da portadora para um valor menor, normalmente na faixa de UHF, antes de ser entregue ao receptor.

CW
Do inglês continuous waves, isto é, ondas contínuas. É a telegrafia manipulada em código Morse, empregando o processo de ondas contínuas. Invenção do norte-americano Samuel Finley Brese Morse, em 1835.

DAB
Digital Audio Broadcasting. É o padrão de Rádio Digital desenvolvido pelo consórcio europeu Eureka. Sistema lançado na Europa, em operação em diversos países da Europa, Canadá, China e Singapura. São características principais prometidas, a alta qualidade de áudio digital, a transmissão a partir de um único equipamento transmissor com até 6 diferentes canais de áudio estereofônicos (ou composições entre o mono e estéreo) e transmissões de dados, gráficos e fotos.

Decibel (dB)
Um submúltiplo do bel de largo emprego, inclusive para comparar grandezas diferentes de intensidade sonora.

Digital Audio Broadcasting - DAB
Radiodifusão sonora digital.

Diafonia (Cross-talk)
Interferência prejudicial causada por sinais que trafegam em linhas telefônicas ou cabos instalados bem próximos, paralelamente uns aos outros, ou ainda entre canais adjacentes de áudio ou de RF.

Dielétrico
Material ou meio não condutor de energia elétrica. Isolante elétrico.

Digitalização
Processo para transformar qualquer informação analógica (sons, imagens, etc.) em digital.

DRM
Digital Radio Mondiale. É o padrão de Rádio Digital desenvolvido pelo consórcio DRM para ser utilizado em equipamentos europeus. Características prometidas pelo sistema: melhor qualidade de áudio das transmissões de AM (Ondas Médias e Ondas Curtas), bem como a transmissão de dados.

DSB
Sigla oriunda do nome em inglês “Double Side Band”. Banda Lateral Dupla. Processo de modulação em amplitude que gera duas bandas laterais em torno da freqüência portadora. A informação está contida repetidamente em cada uma dessas bandas.

DVB
Sigla oriunda do nome em inglês “Digital Video Broadcasting”. Televisão digital.

DX
Sigla usada para designar comunicados com estações distantes, longínquas, realizados por radioamadores. O D significa “distante” e o X “desconhecido”.

ERB
Estação radiobase. Em sistemas de radiocomunicações móveis, incluindo a telefonia celular, é uma estação fixa que serve de base às móveis.

Estação de radioamador
É o conjunto de equipamentos necessários à execução do Serviço de Radioamador. É composta de transmissor, receptor, antenas e alguns eventuais acessórios.
Transmissor: é o equipamento responsável pela transformação do sinal básico de informação em sinal de radiofreqüência que será transformado por sua vez em onda eletromagnética pela antena.

Receptor: é o equipamento necessário à transformação do sinal de radiofreqüência entregue pela antena receptora novamente em sinal básico de informação.

Transceptor: é um equipamento que contém no mesmo invólucro ou caixa tanto o transmissor como o receptor.

Estação de recepção de TV via satélite - ERTVS
Estação terrena destinada exclusivamente a receber sinais de televisão repetidos por satélite.

Estação radiobase - ERB
Em sistemas de radiocomunicações móveis, incluindo a telefonia celular, é uma estação fixa que serve de base às móveis.

Estação radiodifusora
Estação de telecomunicações destinada à exploração de serviços de radiodifusão.

Estação terrena
Estação de telecomunicações essencialmente destinada à transmissão ou recepção de sinais repetidos via satélite.

Estação terrena de pequeno porte - ETPP
É uma estação para comunicações via satélite que se caracteriza por ser compacta, “inteligente” e de baixo custo. Usa uma antena parabólica de diâmetro inferior a 3m, instalada nas dependências dos usuários finais, quase sempre “desatendida”, empregada para tráfego de dados, mais utilizada para serviços integrados de voz, dados e imagens (VDI), em comunicações bidirecionais, com uma estação de maior porte.

Estática
Ruído que é escutado em um receptor, devido a perturbações atmosféricas.

Faixa de freqüências
Conjunto de radiofreqüências contínuas, com limites bem definidos. É o mesmo que banda de freqüências.

Faixa lateral independente - FLI
Método de transmissão para radiocomunicações em ondas decamétricas, em amplitude modulada, na qual cada faixa lateral transporta informação distinta. Conforme a largura da banda lateral é possível transportar em cada uma até dois canais diferentes de informação.

Faixa Lateral Singela - FLS
Método de transmissão utilizado em radiocomunicações em ondas decamétricas, em amplitude modulada, na qual uma faixa lateral é eliminada. A informação está contida da faixa lateral restante.

Faixa de ondas centimétricas - SHF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 3GHz e 30GHz.

Faixa de ondas decamétricas - HF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 3MHz e 30MHz. É a faixa de ondas curtas - OC.

Faixa de ondas decimétricas - UHF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 300MHz e 3GHz.

Faixa de ondas hectométricas - MF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 300kHz e 3MHz. É a faixa de ondas médias - OM.

Faixa de ondas métricas - VHF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 30MHz e 300MHz.

Faixa de ondas milimétricas - EHF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 30GHz e 300GHz.

Faixa de ondas quilométricas - LF
Faixa de radiofreqüências compreendida entre 30kHz e 300kHz.

FCC
Sigla da “Federal Communications Commission”, entidade máxima nos Estados Unidos que regula todos os sistemas de telecomunicações. Equivalente a ANATEL no Brasil.

Fibra óptica
Também simplesmente “fibra”. É um conduto sólido, de vidro ou de plástico, recoberto com material protetor empregado para transportar radiação eletromagnética na faixa de luz.

Figura de ruído - FR
Parâmetro que expressa qualidade dos receptores ou dos amplificadores que operam em radiofreqüências elevadas (acima de 30MHz).

FM
Modulação em freqüência. Processo de inserção do sinal de informação numa portadora radioelétrica em que ele varia a freqüência da portadora. Também usado para indicar de forma abreviada a radiodifusão sonora em freqüência modulada.

Fonte de Interferência Radioelétrica
Qualquer transmissor de telecomunicações, equipamento ou circuito elétrico que produza interferência radioelétrica.

FSK
Sigla oriunda do nome em inglês “Frequency Shift Keying”. Manipulação por desvio de freqüência. Uma forma de transmitir mensagens, pela qual a freqüência do sinal portador é variada segundo dois valores distintos, manipulado por um sinal binário.

Fundo de Fiscalização das Telecomunicações - FISTEL
Criado pela Lei nº 5.070, de 07 de julho de 1966 (DOU 11.07.1966 e 24.08.19660. Destinado a prover recursos para cobrir as despesas feitas pelo Governo Federal na execução da fiscalização dos serviços de telecomunicações, desenvolver os meios e aperfeiçoar à técnica necessária a essa execução.

Gigahertz - GHz
Unidade de medida de radiofreqüência, múltipla do Hertz, igual a 1.000.000Hz ou a 1.000MHz. Utilizada em microondas.

HDTV
High Definition Television. Televisão de alta definição. Padrão de televisão em que a relação de aspecto é de 16:9 e que reproduz mais de 1.000 linhas por quadro.

HF
Sigla oriunda do nome em inglês “High Frequency”.

Hiperbanda
Termo usado em TV a Cabo. É a faixa de radiofreqüências entre 300MHz e 456MHz (canais 37 a 62).

HNMT
Altura do nível médio do terreno. Altura do centro irradiante de uma antena em relação ao nível médio do terreno tomado num círculo de raio de 15km, com centro na base da antena e medidas em pelo menos oito radiais.

IARU
É a sigla da International Amateur Radio Union, isto é, União Internacional de Radioamadores. É a entidade que congrega as associações radioamadorísticas de cada país.

IBOC
In Band On Channel. É o sistema de Rádio Digital desenvolvido nos EUA pelo consórcio iBiquity, formado em 2000 por diversas empresas de radiodifusão e fabricantes de equipamentos, para ser utilizado por emissoras de Ondas Médias (AM) e Freqüência Modulada (FM). Características prometidas pelo sistema são a melhoria na qualidade de áudio nas transmissões de AM e FM, a transmissão simultânea do sinal analógico e digital e a possibilidade de transmissão de dados. Permite transmitir simultaneamente a programação de maneira analógica e digital, sendo compatível com os receptores analógicos atuais e com os futuros receptores digitais.

Índice de modulação
Em FM, relação entre o desvio de freqüência e a freqüência do sinal modulante.

Interferência Radioelétrica
Qualquer emissão irradiada que interaja ou atue em uma emissão irradiada, cuja recepção é desejada.

Interferência Radioelétrica Prejudicial
Qualquer interferência radioelétrica que obstrua total ou parcialmente, ou interrompa repetidamente, um serviço regular de telecomunicações.

International Satellite Communications - INTELSAT
Organização privada para lançar e explorar satélites de telecomunicações. Estabelecida nos EUA, em 1964, gerenciada pela COMSAT - US Communications Satellite Corp., e constituída por inúmeros países, inclusive o Brasil.

IPTV
Internet Protocol Television. Em português significa Televisão sobre Protocolo de Internet, ou ainda, TV via rede TCP/IP.

ISDB
Integrated Services Digital Broadcasting. É o padrão de Rádio Digital desenvolvido pela Japan Broadcasting Corporation - NHK, em teste no Japão. É um serviço de radiodifusão digital de multimídia integrando vários serviços tais como vídeo de alta definição (HDTV), vídeo normal (SDTV), áudio, gráficos e texto.

ITU
É a sigla da International Telecomunications Union, também conhecida por UIT, isto é, União Internacional de Telecomunicações. Sua sede fica na Suíça.

Jamming
Batimento. É o uso deliberado de sinais interferentes, emitidos por um transmissor para prejudicar sinais de outro transmissor com o propósito de torná-los ininteligíveis na recepção.

LABRE
Sigla da Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão, associação de âmbito nacional que congrega os radioamadores do Brasil, filiada à IARU - International Amateurs Radio Union.

Lei Geral de Telecomunicações - LGT
Esta lei dispõe sobre a criação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, a organização e a exploração das telecomunicações (exceto a radiodifusão regida pelo CBT) no Brasil. Foi sancionada em julho de 1997 (Lei 9.472/97, DOU 17.07.1997).

LSB
Sigla oriunda do nome em inglês “Lower Side Band”. Faixa lateral inferior. É uma faixa particular do SSB.

Megahertz - MHz
Unidade de medida de freqüência elétrica. Múltipla da unidade básica. Igual a 1.000kHz ou 1.000.000Hz.

Microfone
É um transdutor, dispositivo que converte som num sinal elétrico.

Microondas
Faixa de radiofreqüências que começa em 1.000MHz e se estende até 30GHz.

Microvolt por metro - mV/m
Unidade comum em radiocomunicações e radiodifusão para medir intensidade de campo elétrico, especialmente nas faixas de freqüências superiores a 10MHz. Eqüivale ao milionésimo da unidade básica, Volt/metro.

Ministério das Comunicações
Órgão do Governo Federal que trata da política de telecomunicações e de radiodifusão no Brasil.
Esplanada dos Ministérios, Bloco R - Brasília - DF - CEP 70044-900 - Sítio: www.mc.gov.br

Milivolt por metro - mV/m
Unidade comum em telecomunicações para medir intensidade de campo elétrico, especialmente na radiodifusão em OC, OM e OT. Eqüivale a um milésimo da unidade básica, Volt/metro.

Modulação
Processo que faz a amplitude, freqüência ou fase de um sinal escolhido para portador de uma transmissão variar controladamente conforme a informação a ser transmitida. A modulação será, respectivamente, em amplitude (AM), em freqüência (FM) e em fase (PM).

Modulação em amplitude - AM
Processo para inserir o sinal de informação a ser transportado em outro (portador), de tal forma que modifica a amplitude do portador segundo suas variações.

Modulação em amplitude por quadratura - QAM
Um processo de modulação em que duas portadoras defasadas de 90° são moduladas em amplitude pelo mesmo sinal. A seguir, os sinais modulados são combinados e transmitidos. Na recepção, o processo inverso é realizado e o melhor sinal é aproveitado.

Modulação em Freqüência - FM
Processo de inserção do sinal de informação numa portadora radioelétrica em que ele varia a freqüência da portadora. Também usado para indicar de forma abreviada a radiodifusão sonora em freqüência modulada.

Onda espacial
Em telecomunicações, é a componente da energia eletromagnética irradiada por um transmissor que se propaga via ionosfera. O ângulo de partida da irradiação é tomado de tal forma que essa componente reflete-se na ionosfera e retorna à terra, possibilitando a comunicação a longas distâncias.

Onda de superfície
Em telecomunicações, é a componente da energia eletromagnética irradiada por um transmissor que se propaga sem reflexão na ionosfera, acompanhando a curvatura da terra. É empregada em aplicações especiais e a responsável pela radiodifusão sonora diurna em ondas médias.

Ondas Tropicais - OT
Subfaixas da faixa de ondas decamétricas utilizadas em radiodifusão sonora na região tropical, empregando propagação por reflexão na ionosfera, de alcance limitado.

Padrão PAL-M
Padrão brasileiro de televisão em cores. Versão do padrão PAL alemão.

PAL-M
Phase Alternating Line, M version.

Portadora
Radiofreqüência de referência numa transmissão. Uma de suas características (amplitude, freqüência ou fase) é modificada pelo sinal a ser transportado.

Potência efetiva radiada - ERP
É a potência de radiofreqüência de um transmissor multiplicada pelo ganho da antena na direção de irradiação considerada.

PTT
Microfone. Aperte-para-falar. (Press-to-Talk)

QRP
Significa operação com baixa potência. Máximo de 10 Watts de entrada ou 5 Watts de Saída de R. F. medidos na antena, no modo Telegrafia.

Quilohertz
Unidade de medida de freqüência elétrica. Múltiplo da unidade básica Hertz (ciclos por segundo) e igual a 1.000Hz.

Rádio Digital
É a tecnologia que emite, de forma digital, a distribuição dos sinais da programação da emissora do transmissor até aos receptores. Rádio Digital, HD Rádio, High Definition Radio, Rádio de alta definição, DAB e Digital Áudio Broadcasting são formas de serem denominadas estas tecnologias.

Radioamador
Pessoa habilitada a exercer as atividades previstas para o Serviço de Radioamador; que possui o Certificado de Operador de Estação de Radioamador - COER.
Radioamador é um título pessoal. É um atributo legal e cultural de uma pessoa.

Radioamadorismo
É uma instituição internacional que visa propiciar ao cidadão um meio de adquirir aptidão pessoal nos campos da Eletrônica e das Telecomunicações, através de um serviço que a legislação nacional e internacional determinam como sendo de “treinamento próprio, comunicação e investigações técnicas, levadas a efeito por pessoas devidamente autorizadas, que se interessam pela Radiotécnica, unicamente a título pessoal, não visando qualquer objetivo pecuniário ou comercial”.

Radiodifusão
Modalidade de telecomunicação que irradia programas com finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas (noticiosos, entrevistas, comentários, entretenimento, publicidade, avisos e assuntos de utilidade pública, etc.), a serem livremente recebidos pelo público em geral. Pode ser sonora ou de sons e imagens.

Radiodifusão de sons e imagens
Televisão.

Radiodifusão sonora
Radiodifusão que irradia programas exclusivamente de sons. As modalidades mais populares são a radiodifusão em ondas médias e em ondas métricas (radiodifusão FM).

Rádios clandestinas
São emissoras que não possuem qualquer tipo de autorização do poder concedente. Também conhecidas como Rádios piratas.
A radiodifusão clandestina é uma contravenção, pois infringe a Legislação Federal.

Rádios legais
São todas aquelas que conseguiram do poder concedente, Ministério das Comunicações, atos de permissão, concessão ou autorização para operar no território Nacional.

RF
Sigla de radiofreqüência.

r. o. e.
Razão de ondas estacionárias. Trata-se de um parâmetro que indica o grau de descasamento de um sistema, dando uma medida da percentagem de energia refletida de volta ao transceptor.

RSR
Sigla pela qual é conhecido o Regulamento dos Serviços de Radiodifusão (Dec. 52.795/63. Sofreu diversas alterações).

RTTY
É o método chamado de rádio teletipo.

Ruído
Distúrbio eletromagnético indesejável e sempre presente que dificulta, mascara ou impede uma telecomunicação.

Serviço de Radioamador
Destinado ao treinamento próprio, à intercomunicação e a investigações técnicas, por amadores autorizados pela ANATEL, sem interesse pecuniário ou comercial. (Referência: Regulamento. N-31/94 Port. MC 1.278/94 DOU 30.12.1994).

Serviço de Radiodifusão Comunitária
É a radiodifusão sonora, em freqüência modulada, operada em baixa potência, e cobertura restrita, outorgada a fundações e associações comunitárias, sem fins lucrativos, destinada a atender pequenas comunidades, como vilas e bairros de cidades, para difundir idéias, cultura, tradições e hábitos à comunidade. Também, buscar a integração da comunidade, prestar serviços de utilidade pública, contribuir para o aperfeiçoamento de jornalistas e radialistas e permitir que os cidadãos exercitem o direito de expressão. Utiliza o canal 200 (87,9MHz) da Radiodifusão FM. (Referência: Lei nº 9.612, de 19.02.1998, publicado no DOU de 20.02.1998; Decreto nº 2.615/98, DOU de 03.06.1998; Norma nº 2/98, DOU de 07.08.1998).

Serviço de Radiodifusão de Sons e Imagens
Televisão. Radiodifusão que irradia sons conjugados com imagens dinâmicas. Opera em duas bandas de radiofreqüências: VHF (freqüências muito altas) em 5 canais na banda baixa (54MHz a 72MHz e de 76MHz a 88MHz) e 7 canais na banda alta (de 174MHz a 216MHz); e UHF (freqüência ultra altas) em 70 canais (470MHz a 890MHz). (Referência: Norma. Port. MC 38/74 DOU 07.02.1974).

Serviço de Radiodifusão Sonora em Freqüência Modulada
É a radiodifusão sonora que utiliza a sub-banda específica (100 canais de 87,8MHz a 108MHz) da banda de ondas métricas para veicular radiodifusão sonora. Opera em freqüência modulada com largura de canal de 200kHz. (Referência: Reg. Téc. Resol. ANATEL 67/98 DOU 13.11.1998)

Serviço de Radiodifusão Sonora em Ondas Curtas
É a radiodifusão sonora que utiliza sub-bandas específicas (de5.950kHz a 6.200kHz; de 9.500kHz a 9.775kHz; de 11.7MHz a 11.975MHz; de 15.1MHz a 15.45MHz; de 17.7MHz a 17.9MHz; de 21.45MHz a 21.75MHz; e de 25.6MHz a 26.1MHz) da banda de ondas decamétricas para veicular radiodifusão de alcance internacional. Opera em amplitude modulada, faixa lateral dupla com largura de canal de 10kHz. (Referência: N-02/83 Port. MC 25/83 DOU 28.02.1983).

Serviço de Radiodifusão Sonora em Ondas Médias
É a radiodifusão sonora que utiliza a sub-banda específica (107 canais de 535kHz a 1.605kHz) da banda de ondas hectométricas. Opera em amplitude modulada, banda lateral dupla com largura de 10kHz de canal. No Brasil, pode ter abrangência local, regional ou nacional. (Referência: Norma N-03/87 Port. MC 174/87 DOU 16.07.1987).

Serviço de Radiodifusão Sonora em Ondas Tropicais
É a radiodifusão sonora que utiliza sub-bandas específicas (de 3,2MHz a 3,4MHz; de 4,75MHz a 4.995MHz; e de 5.005MHz a 5.06MHz) da banda de ondas decamétricas para veicular radiodifusão sonora. Opera em amplitude modulada, dupla faixa lateral com largura de canal de 10kHz. (Referência: N-02/83 Port. MC 25/83 - DOU 28.02.1983).

Serviço de Radiotaxi
Serviço de radiocomunicações, bidirecional, com ou sem chamada seletiva, que permite intercambiar mensagens a voz ou digitais entre estações fixas (de base) e móveis terrestres (táxis), para orientação e administração do transporte. (Referência: N-01/82 Port. 43/82 DOU 08.03.1982. Alterada pelas Port. MC 18/86 DOU 23.01.1986; Port. SNC 26/91 DOU 30.01.1991; e Port. MC 260/95 DOU 26.10.1995).

Serviço Limitado
Serviço de telecomunicações para uso próprio do executante ou para prestação à terceiros, desde que estes sejam uma mesma pessoa física ou um grupo caracterizado por exercerem uma atividade específica. (Referência: Dec. nº 2.197/97 DOU 09.04.1997 e N-13/97 Port. 455/97 DOU 23.09.1997).

Serviço Limitado - Radioestrada
Serviço limitado especializado destinado ao apoio e segurança dos transportadores rodoviários intermunicipal e interestadual. (Referência: Port. MC 193/88 DOU 08.08.1988).

Serviço Móvel Aeronáutico - SMA
Serviço Limitado Especializado destinado a oferecer telecomunicações entre estações terrenas e aeronaves ou entre estas. (Referência: Dec. 52.026/63 - Alterado pelo Dec. 97.057/88).

Serviço Móvel Marítimo - SMM
É um serviço limitado especializado destinado a oferecer telecomunicações entre estações costeiras e estações de navio ou entre estas. (Referência: Dec. 52.026/63 - Alterado pelo Dec. 97.057/88).

Serviço Móvel Terrestre
É o serviço telefônico celular. (Referência: Lei nº 9.472/97; Dec. 2.056/96; Normas de 20 a 28, de 1997 Port. MC 1.533/97).

Serviço Móvel via Satélite - SMS
Serviços de telecomunicações via satélite prestados a aeronaves, embarcações e veículos terrestres.

Serviço Rádio do Cidadão (Faixa do Cidadão - PX)
Serviço de radiocomunicação de uso compartilhado para comunicados entre estações fixas e/ou móveis realizados por pessoas naturais utilizando o espectro de freqüências compreendido entre 26.960MHz e 27.610MHz, também chamado de Faixa do Cidadão. (Referência: Norma 0lA/80 Port. MC 218/80 DOU 03.10.1980 e Port. MC 129/89 DOU 15.08.1989).
Pela Internet também pode-se obter a licença de funcionamento de estação do Serviço Rádio do Cidadão (PX), corrigir dados cadastrais e realizar outras operações. Basta acessar > www.anatel.gov.br/scpx .

Serviço Regular de Telecomunicações
É aquele executado de acordo com as leis, regulamentos, normas técnicas e instruções específicas.

SHF
Faixa de ondas centimétricas. Faixa de radiofreqüências compreendidas entre 3 GHz e 30 GHz.

Sinal
Designação dada a informação contida numa portadora modulada. Pode ser analógico ou digital.

SSB
Sigla oriunda do nome em inglês “Single Side Band”. Faixa lateral singela.

SWR
Sigla oriunda do nome em inglês “Standing Wave Ratio”. Veja r. o. e. (razão de ondas estacionárias).

Taxa de Fiscalização do Funcionamento - TFF
Uma modalidade do FISTEL, que é devida, anualmente, à União pelos executantes de serviços de telecomunicações. O seu valor é metade da TFI.

Taxa de Fiscalização da Instalação - TFI
Uma modalidade do FISTEL, que é devida quando ocorre a autorização para uma pessoa física (natural ou jurídica) executar um serviço de telecomunicações. O seu valor é fixado anualmente pela ANATEL.

Taxa de Fiscalização das Telecomunicações - FISTEL
Taxa devida pelos executantes de serviços de telecomunicação à União. Existem duas modalidades: A Taxa de Fiscalização do Funcionamento - TFF e a Taxa de Fiscalização da Instalação - TFI.

Telecomunicações
Processo de comunicação à distância entre pessoas, pessoa e máquina ou entre máquinas, que utiliza como meio de transmissão linhas e condutos físicos ou irradiação eletromagnética. A comunicação pode ser voz ou mediante o emprego de sinais codificados, como entre outras modalidades, o código Morse para telegrafia.

UHF
Faixa de ondas decimétricas. Faixa de radiofreqüências que se estende de 300 MHz a 3 GHz.

UIT
União Internacional de Telecomunicações. Órgão da ONU que recomenda posturas administrativas, operacionais e técnicas de telecomunicações com abrangência internacional.

USB
Sigla oriunda do nome em inglês “Upper Side Band”. Faixa lateral superior.

VHF
Sigla oriunda do nome em inglês “Very High Frequency”, freqüência muito alta, a faixa de radiofreqüência situada entre 30 MHz e 300 MHz.

VHS
Processo que realiza a gravação de sinais de televisão em fita magnética de ½” de largura. É dirigido ao entretenimento doméstico.

VLF
Sigla oriunda do nome em inglês “Very Low Frequency” , Freqüência muito baixa que se estende de 10 a 150 KHz.