Aprenda a congelar e evita intoxicações

A salmonelose e as reações por anisakis se multiplicam no verão porque não atentarmos para a correta manipulação dos alimentos congelados. Esclarecemos-lhe como deve fazê-lo.

A indústria de alimentos oferece-nos a garantia de que os produtos congelados que consumimos são mantidos e manipulados em condições de temperatura e umidade constantes (cadeia de frio) para manter intactas a sua qualidade e inocuidade, a partir de seu ponto de origem e através de toda a cadeia de distribuição até chegar a nós, como consumidores finais.

Mas alguns estabelecimentos de venda e de nós mesmos em casa nem sempre respeitamos esta cadeia do frio na hora de manipular os alimentos congelados que compramos, e, muitas vezes, não o fazemos no caso de congelar os alimentos frescos ou cozidos. Desta forma, esses alimentos correm o risco de estragar, se contaminar com bactérias ou parasitas, como o anisakis ou salmonella, bem como de perder suas propriedades.

O que é que começa o frio?

Deve ficar claro que o frio não destrói os microrganismos que alteram os alimentos ou os que provocam doenças alimentares. Na realidade, quando um alimento está congelada, a água que contém a forma de cristais de gelo e deixa de ser assim um meio em que os microrganismos possam crescer e reproduzir-se. A maioria destes germes continuam a viver, mas, ao congelar-se “dormem”, ficando inativos.

Se quebramos a cadeia do frio, permitindo que o alimento aumente vários graus ou até atingir a temperatura ambiente, estamos a criar o caldo de cultura ideal para que estes microrganismos “acordem” e voltem a ser ativada, constituindo assim uma fonte de toxiinfección.

Como fazê-lo bem?

Congelar

  • Introduz os produtos congelados nada mais chegar em casa no congelador.
  • No supermercado, deixe sempre para o final dos congelados, e consérvalos enquanto compra e o carro dentro de uma bolsa isotérmica.
  • Congele em porções individuais e em recipientes ou sacos especiais que suportam o congelamento. É recomendável anotar a data na embalagem.
  • O tempo máximo recomendado de armazenamento de congelados é de três a seis meses.
  • Verifica-se que o congelador mantém -18ºC ou menos.
  • Deixe esfriar os alimentos antes de congelá-los (não mais de uma hora), porque se entrar ainda quentes, a temperatura no freezer irá aumentar e prejudicar o resto de alimentos.

Descongelar

  • Degela sempre no frigorífico (melhor se for na prateleira mais baixa do mesmo) e sem abrir a embalagem.
  • Nunca devem descongelarse os alimentos à temperatura ambiente ou em locais quentes, como o sol ou sobre um radiador, nem imergindo-os em água quente.
  • O micro-ondas pode ser usada para descongelar peças finas e pequenas, evitando que o alimento se deixe cozinhar.

Atenção!

  1. Os alimentos descongelado devem ser consumidas em 24 horas no máximo.
  2. Jamais recongeles um alimento que já descongelados antes, porque perderia todas as suas qualidades de sabor e textura, podem ter reproduzido as sementes em seu interior.
  3. Se comprar peças inteiras sem embalagem, certifique-se de que estejam rígidas, sem a ocorrência de deformações, rasgos ou erosão. Se você adquire o peixe cortado em pedaços, certifique-se de que está em boas condições, verificando que não haja diferenças de cor na superfície do corte.
  4. Quanto aos produtos congelados que vêm embalados, saco ou recipiente devem estar em perfeito estado, hermeticamente fechados, sem rupturas e sem gelo em sua superfície.
  5. Um quilo de carne leva cerca de oito horas em descongelarse, enquanto que o peixe tende a levar a metade desse tempo, mas depende da espessura da peça.
  6. Não sobrecargues o freezer para que o ar frio possa circular corretamente.
  7. As verduras e hortaliças cruas, é melhor escaldarlas antes de medicinais. Para cozinhá-las, não fará falta descongelarlas.
  8. O tomate, a alface, o pepino, os cogumelos, os frutos vermelhos e alguns molhos não resistem ao congelamento.

Fora anisakis!

O anisakis é um dos poucos parasitas que não resistem ao congelamento. Por isso, os estabelecimentos de restauração são obrigados a congelar previamente o peixe que vai ser consumido cru ou mal feito (anchova em conserva, tartar de atum, sushi, etc.), a 20 graus abaixo de zero ou menos, durante um período mínimo de 24 horas, para acabar com as possíveis larvas. Faça você mesmo em casa!

Twitter

Aprenda a congelar e evita intoxicações
Classifique essa matéria